ESTOU a amar um edifício. É o edifício com mais requinte e carácter que a cidade tem. Fica na Rua dos Bragas, uma rua demasiado severa e estreita. Além disso, aquela é uma rua triste, tão triste que chega quase a ofender a beleza do edifício. Aquele edifício merecia uma praça aberta, coroada por uma família de edifícios tão ou mais belos do que ele. Era preciso deslocar aquele edifício. Desmontá-lo, pedra por pedra, e voltar a erguê-lo num sítio mais digno. Eu tinha grandes propósitos para aquele edifício.

Há, nesta cidade, muitos outros edifícios pelos quais eu nutro sentimentos. Também me sinto atraído por algumas avenidas, ruas orgulhosas e praças potencialmente imponentes, com as suas indomáveis estátuas equestres, dessas que ainda conservam elementos de um certo imaginário bélico e polido, fazendo lembrar as atmosferas indecifráveis de De Chirico. Mas amar, amar verdadeiramente, só mesmo aquele edifício.

Pelo menos uma vez por semana, passo por lá para o ver. Desço a Rua dos Bragas, paro o carro em frente, desligo o motor, abro a janela e depois acendo um cigarro e fico a contemplar, durante algum tempo, a sua decência plena de palácio europeu. Ocorre-me, por vezes, elogiá-lo, como nunca elogiei ninguém; pedir-lhe sussurrando que resista, que nunca perca a esperança, que continue a acreditar na sua divina proporção e nobreza. Porque num futuro não muito longínquo, haverá alguém, com poder e engenho, capaz de o libertar do sofrimento. Um dia eu sei que aquele edifício irá ter o lugar de destaque que merece.

Entretanto, e à custa do meu amor incessante e excêntrico, a cidade já não é a mesma e o futuro já aconteceu. Porque, como diz Mario Benedetti num poema, “Cada ciudad puede ser otra / cuando el amor la transfigura”.

SOBRE O AUTOR: André Domingues (Porto, 1975). É tradutor, revisor, locutor e redactor de publicidade. Autor do livro de contos curtos “Dramas de Companhia” (Companhia das Ilhas, 2016) e de poesia “Tempestade das mãos” (Debout sur l’Oeuf, 208).

Publicado originalmente em 4 de outubro de 2016

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here