1450
0
COMPARTILHAR
Inicio 7 Perguntas Sete pergunta...

Sete perguntas a José Efe

Sete perguntas a José Efe

0
1450

JOSÉ Efe é portuense por nascimento e afeição. Nasceu na freguesia de Massarelos, no Porto, residindo atualmente em Oliveira do Douro, Vila Nova de Gaia, onde viveu até aos primeiros sete anos para regressar décadas depois. O fascínio pela Mui Nobre Sempre Leal e Invicta Cidade do Porto (onde tudo se tece e entretece) inspirou-o na criação de várias obras sobre o burgo. Parte da sua produção literária é, assim, a prova evidente que o factor local influencia a criação artística, quanto mais não seja como objeto de trabalho.

Por Paulo Moreira Lopes 

1 – Data de nascimento e naturalidade (freguesia e concelho)?

31.08.1960 (Massarelos/Porto).

2 – Atual residência (freguesia e concelho)?

Oliveira do Douro/V.N. de Gaia

3 – Escolas/Universidade que frequentou no distrito do Porto?

Escola Secundária António Sérgio; (FCDEF) Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física)

4 – Habilitações literárias?

Licenciatura

5 – Atividade profissional?

Professor/Assistente Técnico (CHP)

6 – Em que medida o local onde viveu ou vive influenciou ou influencia o seu trabalho por referência a fenómenos geográficos (paisagem, rios, montanha, cidade), culturais (linguagem, sotaque, festividades, religião, história) e económicos (meio rural, industrial ou serviços)?

Apenas nos primeiros sete anos da minha existência vivi na periferia de V.N. de Gaia. A cidade sempre foi a minha “casa” – V.N. de Gaia e Porto.

O burgo influenciou, continua a influenciar, o trabalho que desenvolvo: rio, mar, espaços arborizados, luz…, são elementos essenciais para o exercício da minha actividade profissional – há uma ligação estreita entre o meio ambiente e a prática de exercício físico.

A história da Mui Nobre Sempre Leal e Invicta Cidade do Porto sempre me fascinou. Viver numa grande cidade é, para mim, uma mais-valia: estar no coração das coisas, onde tudo se tece e entretece – teatro, cinema, exposições, criação literária, congressos, espectáculos musicais, etc., permitiu-me beber o conhecimento de algumas das artes supracitas: teatro e literatura.

No que concerne a factores económicos: profissionalmente sempre estive ligado ao sector terciário (Serviços). Trabalhei 19 anos no “JN” e outros tantos no ensino.

Por tudo o que acabo de enunciar, devo convir que alguns factores geográficos tiveram influência no meu trabalho.

7 – Endereço na web/blogosfera para o podermos seguir?

Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here