752
0
COMPARTILHAR
Rui Lage (197...

Rui Lage (1975)

Rui Lage (1975)

0
752

A rua é comoção antecipada,
Noutro lugar é a mesma ternura 

§

Descamam as telhas sob o sol
punitivo, zunem fios de alta tensão, 

§

O aguaceiro manso das jovens
passeia na sala tardia 

§

Entopem o gargalo da toca
espetando o nariz, calcando 

§

O olhar sobe as escadas da paisagem.
Muros atravessam-na duplamente
em amplos charcos de água. 

§

As colchas ricas formando troféu

Intermináveis nos terraços
de onde se vê o céu mobilado,
ou debruçadas em varandas penitentes 

§

A CARTA NA MÃO

ao meu pai, Carlos
País perdido no regaço da palha
sob o peso da luz e do pão,
tenho-te escrito e aberto nas mãos,
tenho-te perto da vista e longe
cada vez mais do coração. 

§

Rui Lage nasceu na cidade do Porto em 1975. Publicou os livros de poesia Antigo e Primeiro, Berçário, Revólver e Corvo. Traduziu Paul Auster (Poemas Escolhidos), Pablo Neruda (Crepusculário), e Samuel Beckett (Mal Visto Mal Dito), entre outros. Ensaísta e crítico literário, é ainda autor de teatro (Não há mais que nascer e morrer) e de literatura para a infância. Está representado em diversas antologias de poesia.

Fundou e dirigiu, entre 1998 e 2004, a revista de literatura, música e artes visuais Águas-Furtadas, editada pelo Jornal Universitário do Porto. Encontra-se a ultimar a sua tese de doutoramento em Literaturas Românicas (Perda, Luto e Desengano: a Elegia na Poesia Portuguesa do Século XX) na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde se licenciou em Estudos Portugueses e Ingleses.

Sito in www.wook.pt

zp8497586rq