Poemário

Pedro Estorninho (1974)

12 Agosto 2017 Comentar

Sei que os teus braços
tomaram a posição certa.
Que o balanço do teu corpo
me trouxe o cheiro do mar. 

As tardes ardem lentamente.
Não passam ou se gastam,
simplesmente ardem. 

No tempo de uma árvore,
vejo a alta memória do mundo e dos homens. 

Nascido em Lisboa em Março de 1974 é Dramaturgo/Encenador e director artístico da companhia TEatroensaio, habita no Porto desde 2007. Já conta com várias publicações na área do conto, romance e teatro. O seu mais recente livro foi “Contos da Terra Estreita“.

Deixe aqui o seu comentário!

Insira o seu comentário, ou trackback do seu próprio site. Pode também Subscreva estes comentários via RSS.

Correcção e Respeito por todas as opiniões.

Este site disponibiliza o Gravatar. Para criar o seu Gravatar faça o registo em Gravatar.