Poemário

António Rebordão Navarro (1933-2015)

8 Julho 2017 Comentar

Da tinta
ou do sangue
fluem as palavras?

§

A palavra que ama
a que namora
a palavra que dorme 

§

É nos bolsos que cabe o que nós somos.
Levamos tudo logo pela manhã, 

Ver mais sobre o autor aqui

Deixe aqui o seu comentário!

Insira o seu comentário, ou trackback do seu próprio site. Pode também Subscreva estes comentários via RSS.

Correcção e Respeito por todas as opiniões.

Este site disponibiliza o Gravatar. Para criar o seu Gravatar faça o registo em Gravatar.