Homo Onomatopaico

Apresentação

6 Julho 2014 Comentar

HÁ homens de poucas palavras, muito poupados. São aqueles que não dão nada a ninguém, nem sequer palavras. A avareza chega ao ponto de comunicarem, imaginem só!, através de uma, duas ou três palavras, no máximo, que, por sua vez, reproduzem ruídos, gritos, canto dos animais, sons da natureza, barulho de máquinas e o timbre da voz humana. É que não se dão ao trabalho de explicar, por palavras, o que pensam.

Estão convencidos que a simples alusão a sons curtos, mas com tradução verbal, lhes é suficiente para serem compreendidos. Para eles uma onomatopeia vale por muitas palavras. São designados por Homo Onomatopaico. Por sermos muito desprendidos vamos dar-lhe a palavra, ou melhor, a onomatopeia aqui no Correio do Porto. E para facilitar a comunicação será aposta sob aquelas uma legenda (com palavras, claro!) que traduzirá o seu pensamento. Esperemos não o trair.

P.S. Às vezes também usa interjeições.

§

Se sabe ou desconfia o que o HOMO ONOMATOPAICO pensa sobre certos acontecimentos do quotidiano pode enviar esse pensamento para geral.correiodoporto@gmail.com para eventual publicação.

Deixe aqui o seu comentário!

Insira o seu comentário, ou trackback do seu próprio site. Pode também Subscreva estes comentários via RSS.

Correcção e Respeito por todas as opiniões.

Este site disponibiliza o Gravatar. Para criar o seu Gravatar faça o registo em Gravatar.