147
0
COMPARTILHAR
Inicio Do Porto Antero de Ald...

Antero de Alda: o vosso professor

Antero de Alda: o vosso professor

0
147

iniciei o meu ofício no dia 23 de outubro de 1982. exactamente no dia em que fazia 21 anos — por isso costumo dizer que comecei aos 20.

numa escola em sever do vouga, onde nasci. curiosamente, na mesma escola onde, anos depois, conheci a minha mulher — a minha esposa, quero dizer sem reserva de propriedade!, aquela margarida “que andava no mar perdida”, que sempre foi a minha “musa” — oh as musas mulheres fatais, quase transfigurações de Torga!, a mãe dos meus filhos, aquela que diz “tu és um furacão” e que ao longo de todos estes anos tem suportado o meu fogo o meu fumo e as minhas cinzas…

enfim, já lá vão 35 anos — ora vejam: sou um professor na casa dos 30!

conheci milhares de jovens: dóceis, cruéis, insuportáveis, irresistíveis, inocentes ou culpados — se é que se pode chamar culpado a um jovem que transporta ao mesmo tempo genética e plasticina!, se não somos todos metade vítimas e metade cúmplices como dizia sartre. quase todos bonitos — meninas, há muita gente bonita que pensa que é feia e muita gente feia que pensa que é bonita!, quase todos imperfeitos — meninos, o mundo é (im)perfeito, e onde estaria o fascínio de viver se não tivéssemos todos os dias que subir a encosta até à esquina do anjo negro de nietzsche onde o ódio está emparedado, onde temos de re-construir?

se é preciso re-construir o mundo, o “não” às vezes é organizador; o “talvez” são as pinceladas de van gogh que cortou a própria orelha para oferecer à sua prostituta preferida como prova de amor; o “sim” é a música dos deuses (como o zé pedro, dos xutos, certo?) que vocês trazem nos fones para entreterem os ouvidos.

talvez um dia possam conhecer “o deus que fez de mim um homem diferente penteou-me cortou-me a barba comprou-me um par de sapatos novos fez-me decorar ladainhas inteiras preparou-me para entrar no inferno!” antero de alda

o mesmo deus que me transformou em vosso mestre-sala |s.m. aquele que dirige um baile|, — que vos ensinou, queridos Alunos!, que é preciso dançar para estar no mundo. ~ O VOSSO PROFESSOR

Por Antero de Alda

Exposição dos trabalhos dos alunos da EB2,3 de Amarante, a decorrer na Casa da Granja, Cavalariças, até 4 de fevereiro de 2018.

Centro histórico de Amarante visto das Tílias | João Santos (15 anos) | 2015/2016

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here