Papiniano Carlos (1918-2012)

Belo é ver florir os galhos / das velhas árvores. / E ver chegar as aves / que voltam do Sul.

Manuel António Pina (1943-2012)

Alguém o chamara por outro nome, / um absoluto nome, / de muito longe

Rosa Alice Branco (1950)

Às vezes a noite estende-se através da pele, / mas tu mergulhas até apanhar a pedra / lá no fundo

Pedro Estorninho (1974)

Sei que no meio do fogo, / a mesa ficou ausente. / Quantas luzes consegues / erguer na noite?

Almeida Garrett (1799-1854)

A brisa voga no prado / Perfume nem voz não tem

Daniel Faria (1971-1999)

Sol / Que quando és nocturno ando / Com a noite em minhas mãos para ter luz.

Manuel Araújo da Cunha (1947)

Vem / Quando se fizer silêncio em meu redor / e a urze se cobrir de violeta

Jorge Gomes Miranda (1965)

Às vezes tenho medo de esquecer tudo: / a casa onde nasci, o recreio

Ilídio Sardoeira (1915-1987)

Por onde vou vai sempre quem não sou / E, quando chego, quem chegou por mim?

Joma Sipe (1974)

Crepúsculos de dor que se desvanecem, Apenas o físico sofre, lembra-te Da tua imortalidade.

Luísa Dacosta (1927-2015)

As mulheres afadigam-se / a estender a migalha do sargaço / que a nortada trouxe à beirada.

João Cabral de Melo Neto (1920-1999)

Sobre o lado ímpar da memória / o anjo da guarda esqueceu / perguntas que não se respondem.

Rui Reininho (1955)

Há um lixo novo pra limpar ao nascer / Um grito surdo que tentam calar

Agustina Bessa-Luís (1922)

Entre o desejo e a vontade dum homem há muitas vezes um abismo.

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Moreira (1956)

E peço-lhe desculpa se o refiro desta forma tão crua. Diz a senhora presidente que a delegação do Porto não tinha competências técnicas e, por isso, não se justificava a manutenção. De facto, Senhor Ministro, há muitos anos que os intermediários financeiros se queixavam que para qualquer assunto se viam obrigados a deslocarem-se à sede da CMVM em Lisboa. Exatamente p...

Rua da Estrada romana

UM soldado romano e uma estrada é uma daquelas parelhas que não causa qualquer surpresa. É como um semáforo ou uma placa de sinalização de trânsito ou um polícia sinaleiro se fosse cruzamento e se os tempos e circunstâncias fossem diferentes. Não teria havido império se não houvesse uma rede de estradas que chegasse a todas as terras dos bárbaros, sistema de circulação por onde se drenavam riquezas e impostos para Roma, por onde se movimentavam as legiões, a lei e o latim – uma barbaridade de dispositivos técnicos, legais, linguísticos, bélicos, logísticos, simbólicos… para manter um poder ass...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

Em qual dos uu está a bolsa do canguru?

Errata

No título da notícia publicada no JN de 18 de novembro de 2017, página 20, onde se lê, “Traficante traído por violência doméstica”, deve ler-se, “Traficante atraído por violência doméstica”, por PML