Artigos na categoria Poemário

3.229 Leituras
Sou uma erva daninha. / Nem princesa, nem rainha.

2.130 Leituras
Árvore, — amiga constante, / Desde o berço à sepultura!

3.276 Leituras
Quando a primeira lágrima aflorou / Nos meus olhos, divina claridade

1.348 Leituras
Deus não é / a forma que lhe atribuímos, / mas a sua verdade,

1.172 Leituras
o ódio esconde-se nas franjas do amor…

856 Leituras
A palavra que ama / a que namora / a palavra que dorme

759 Leituras
Num plátano gravei o meu nome, enlaçado, / Confundido de amor no teu nome divino,

243 Leituras
Enquanto todos os instantes de uma vida desenham / a superfície do rosto e o olhar aprende a ser uma / porta para a eternidade cada dia é uma entrada

219 Leituras
Aprendemos disciplinadamente a pôr / o tempo no seu lugar

736 Leituras
O silêncio da tua voz quebrou o tempo / A doce madrugada emudeceu

234 Leituras
a canção toca no rádio / em jeito de despedida / não vás ainda

2.207 Leituras
Se outras preferiam os tecidos de seda / do desejo / ela dava-se à ganga coçada

763 Leituras
Sei que os teus braços / tomaram a posição certa. / Que o balanço do teu corpo / me trouxe o cheiro do mar.

507 Leituras
- e a folha a vir / a Primavera / do cão uivante.

Vai no Batalha

NESTE momento, há uma dúvida sobre se a forma como o terreno foi adquirido [pela Selminho] é, ou não, legitima. Isto, que eu desconhecia, é uma situação diferente da anterior. Antes, o que havia era um conflito, como tantos outros, entre a Câmara e um privado relativamente aos direitos de construção num determinado terreno.

Rua da Estrada

3.229 Leituras
QUANDO deixei as planuras secas da Mancha e vim para estas terras de Portugal, pensei que todos aqueles fantasmas se tinham esfumado e a minha doce Du...

Enigmatógrafo

3.229 Leituras
Em qual dos uu está a bolsa do canguru?