Artigos na categoria Poemário

3.198 Leituras
Quando a primeira lágrima aflorou / Nos meus olhos, divina claridade

1.309 Leituras
Deus não é / a forma que lhe atribuímos, / mas a sua verdade,

1.116 Leituras
o ódio esconde-se nas franjas do amor…

815 Leituras
A palavra que ama / a que namora / a palavra que dorme

698 Leituras
Num plátano gravei o meu nome, enlaçado, / Confundido de amor no teu nome divino,

190 Leituras
Enquanto todos os instantes de uma vida desenham / a superfície do rosto e o olhar aprende a ser uma / porta para a eternidade cada dia é uma entrada

164 Leituras
Aprendemos disciplinadamente a pôr / o tempo no seu lugar

686 Leituras
O silêncio da tua voz quebrou o tempo / A doce madrugada emudeceu

190 Leituras
a canção toca no rádio / em jeito de despedida / não vás ainda

2.141 Leituras
Se outras preferiam os tecidos de seda / do desejo / ela dava-se à ganga coçada

718 Leituras
Sei que os teus braços / tomaram a posição certa. / Que o balanço do teu corpo / me trouxe o cheiro do mar.

434 Leituras
- e a folha a vir / a Primavera / do cão uivante.

1.081 Leituras
Pousado no arcaz o fogo, como nas mãos de Caim, / o âmbar, os pântanos, os plátanos, um planisfério

1.553 Leituras
A rua é comoção antecipada, / Noutro lugar é a mesma ternura

Vai no Batalha

PARA nós, importante é que Gaia passou ao verde. Era um velho objetivo. Gaia esteve durante muitos anos em situação de ilegalidade no cumprimento das metas e do endividamento. Gaia respira melhor e está fora das amarras do endividamento excessivo. Está provado que é possível ter uma cidade digna e de boas contas mas que cresça.

Rua da Estrada

3.198 Leituras
PARA memória futura antes que a tinta desbote, fica registado que este galo é de Barcelos, das terras de Prado onde se fazia muita telha, louça e figu...

Enigmatógrafo

3.198 Leituras
Seríamos mais felizes com ouro para todos às mãozadas?