Domingos Galante

/ 1075 leituras
MORREU Domingos Galante. Foi um matosinhense ilustre, um verdadeiro amante da sua terra. Homem controverso, mas sempre no seu confronto de ideias esteve o seu Matosinhos. Conhecemo-lo há qua...

Júlio Tavares Rebimbas (1922-2010)

/ 470 leituras
FALECEU o Senhor D. Júlio Tavares Rebimbas, Arcebispo-Bispo emérito do Porto. Oriundo do Presbitério de Aveiro, foi sucessivamente Bispo do Algarve, Auxiliar do Patriarca de Lisboa (com o tí...

António Sampaio, fundador das “Padeirinhas de Valongo” (1944-2010)

/ 499 leituras
É COM muita mágoa e eterna saudade que comunico o falecimento de meu pai e fundador do Rancho, António Ferreira Sampaio com 66 anos de idade, nascido a 16 de Agosto de 1944 na Freguesia de V...

João Paulo Seara Cardoso (1956-2010)

/ 877 leituras
ATOR, encenador, bonecreiro e outras coisas mais, João Paulo Seara Cardoso foi, nomeadamente, o fundador do Teatro de Marionetas do Porto. João Paulo Seara Cardoso morreu, mas deseja-se que ...

Isabel Sousa (1958-2010)

/ 1319 leituras
A ISABEL deixou-nos. Fica o que muito fez pela Leitura Pública em Portugal. Sempre com os olhos no futuro, a desejar sempre o melhor para as bibliotecas, a correr por elas, e a transgredir...

Fernando Pernes (1936-2010)

/ 554 leituras
FERNANDO Pernes, que dedicou toda a sua vida ao ensino e à crítica de arte, foi o primeiro director artístico da Fundação de Serralves, entre 1987 e 1996. Grande divulgador da arte, foi um...

Álvaro Mendes (1926-2010)

/ 787 leituras
VALONGO perdeu uma das mais importantes figuras do desporto concelhio: Álvaro Mendes. Este ilustre ermesindense dedicou grande parte da sua vida à promoção do desporto junto dos mais jovens ...

Santos Calmeiro Matias

/ 841 leituras
CHEGOU o GRANDE DIA da PÁSCOA. É sempre grandiosa a HORA de NASCER. E a PAZ vem de quem anunciou a PAZ. E a ALEGRIA chega-nos de quem procurou a ALEGRIA. E o ENCANTO da Vida em emergência in...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Bragança Fernandes (1948)

O António Costa neste momento está a acender uma vela para que [Rui] Rio ganhe.

Rua da Estrada que não funciona

A RUA da Estrada que não funciona perdeu o asfalto. Regressou à terra. Resta a gravilha, sulcos de terra que o sol irá empoeirar ou lamaçal quando vierem as grandes chuvas. Outros tempos houve em que o bulício não despegava. Para a grande catedral branca rumavam toneladas de grãos de trigo em camiões e do comboio que ali passava iam e vinham outras mercadorias e outra gente que agora deu sumiço. Era a estrada que cruzava a estação, o caminho-de-asfalto e o caminho-de-ferro, esfolado um e desferrado outro. Ficou a estação do tempo salazarento, monumento de arquitectura do Portugal dos Pequen...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 406 leituras
Os Aquários são de vidro?