Stabat Mater

/ 170 leituras
ONÍRICA, angustiante e crepuscular atmosfera. Rabiscos alucinados no azul do céu que cobre o rio e a minha aldeia. Às vezes parecem estranhos e desarticulados manequins de modista, esfíng...

Zahra

/ 251 leituras
AQUELA mulher moira que te enfeitiçou uma vez, ainda tem de ti uma lembrança que causa sofrimento. Não pretendo fazer-te lembrar coisas que decerto te magoam, momentos em que como um simples...

O Doutor de Arouca

/ 392 leituras
HOJE VAMOS FALAR DO DOUTOR DE AROUCA. Talvez por que já passaram por ti muitos milhares de figuras bizarras não te seja possível localizá-lo na memória. Era um exemplo de criatividade, um ho...

António

/ 372 leituras
LEMBRAS-TE DO ANTÓNIO filho da padeira? Era um rapazito quando embarcou para o Brasil procurando melhor forma de vida. Aqui, neste imenso vale onde condicionas vidas, nessa altura, era quase...

Milagre em Julho

/ 423 leituras
DIZEM QUE OS MILAGRES ACABARAM, que por via das injustiças do mundo, as divindades deixaram de se compadecer com os homens e que a terra nunca mais assistirá a mais nenhuma dessas prodigiosa...

O padre Luís

/ 164 leituras
NAS TERRAS DE MELRES existe uma igreja centenária onde os crentes descarregam pecados, pedem fervorosamente curas para as suas doenças, rezam orações intermináveis com o objectivo de agradar...

O Lopes

/ 164 leituras
NADA DO QUE É GRANDEZA TE FASCINA. Convives com todas as gentes da mesma forma que um pai convive com os filhos. Apoquentas-te quando adoptam certos comportamentos que julgas menos certos ma...

O barco azul

/ 195 leituras
AS COISAS MUDAM, tudo se altera neste globo de dois movimentos constantes, os homens e os rios vão envelhecendo, o que parecia ser eterno, acaba por se revelar tão efémero como um beijo. Pes...

Lourenço

/ 488 leituras
TUDO SE ALTEROU EM POUCOS ANOS. Os homens da ciência e da técnica transformaram de tal maneira o mundo que seria difícil estabelecer comparações entre o antes e o depois sem causar sérias dú...

Mosteiro de São João Baptista, Alpendurada

/ 943 leituras
APESAR DESTAS ARRELIAS que me vão complicando a vida, conservo ainda intactos alguns sonhos da infância, imagino como será viver numa grande cidade repleta de tudo o que uma pessoa como eu n...

A minha casa

/ 584 leituras
ÀS VEZES APETECE-ME percorrer outros caminhos, sair em busca de novas e excitantes aventuras, afigura-se-me que para além de ti, de tudo o que te rodeia, haverá um outro mundo à minha espera...

Lucinda

/ 679 leituras
A TERRA DE MELRES É BARRENTA, quase vermelha, o pó do trilho tinge de escarlate as botas de água do Caga-na-Marca. É encarnada a terra não muito diferente da cor do sangue que corre nas veia...

Margarida

/ 563 leituras
APETECE-ME FALAR DE TI COMO SE FOSSES AUSENTE, como se tu e eu vivêssemos longe um do outro, como que se apenas uma grande saudade nos unisse. Sabes que os seres vivos considerados humanos, ...

Feliz Natal rio de oiro

/ 676 leituras
O TEMPO PASSA A CORRER sobre as tuas águas e sobre as serras. Já foi Primavera, as árvores que te enfeitam as margens, vestiram-se de gala e a cor verde predominou em toda a tua extensão. O ...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Bragança Fernandes (1948)

O António Costa neste momento está a acender uma vela para que [Rui] Rio ganhe.

Rua da Estrada que não funciona

A RUA da Estrada que não funciona perdeu o asfalto. Regressou à terra. Resta a gravilha, sulcos de terra que o sol irá empoeirar ou lamaçal quando vierem as grandes chuvas. Outros tempos houve em que o bulício não despegava. Para a grande catedral branca rumavam toneladas de grãos de trigo em camiões e do comboio que ali passava iam e vinham outras mercadorias e outra gente que agora deu sumiço. Era a estrada que cruzava a estação, o caminho-de-asfalto e o caminho-de-ferro, esfolado um e desferrado outro. Ficou a estação do tempo salazarento, monumento de arquitectura do Portugal dos Pequen...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 409 leituras
Os Aquários são de vidro?