Início » Arquivos

Artigos na categoria Miradouro

O padre Luís
[7 Ago 2017 | Comentar | ]
O padre Luís

NAS TERRAS DE MELRES existe uma igreja centenária onde os crentes descarregam pecados, pedem fervorosamente curas para as suas doenças, rezam orações intermináveis com o objectivo de agradar a Deus e assistem a missas diariamente. Todos mergulhados nos mistérios da sua fé, entregam-se de alma e coração ao divino cumprindo rituais mais antigos do que se possa imaginar.
Não sei se tu rezas mas vejo-te muitas vezes mergulhado em ti próprio numa postura que só quem ora assume perante a vida. Deves ter no teu coração feito de água, as mesmas …

O Lopes
[9 Jul 2017 | Comentar | ]
O Lopes

NADA DO QUE É GRANDEZA TE FASCINA. Convives com todas as gentes da mesma forma que um pai convive com os filhos. Apoquentas-te quando adoptam certos comportamentos que julgas menos certos mas nem por isso impedes as partidas e chegadas, as dores e os sofrimentos, as alegrias e as tristezas por que sabes que todos temos um destino para cumprir. Quantas vezes te revoltas em vão sabendo de antemão que é inútil tentar impedir a caminhada do mundo, ele tem que evoluir, faz parte da sua razão de ser, foi …

O barco azul
[5 Jun 2017 | Comentar | ]
O barco azul

AS COISAS MUDAM, tudo se altera neste globo de dois movimentos constantes, os homens e os rios vão envelhecendo, o que parecia ser eterno, acaba por se revelar tão efémero como um beijo. Pessoas como eu, deixam muitas coisas por fazer por que é impossível no curto espaço de uma vida, realizar todos os sonhos que sonhamos. São muitos os que observam simplesmente o passar do tempo alheios a tudo o que palpita de emoções para lá do espaço onde circulam. Por alguma razão isso acontece, nem todos têm a …

Lourenço
[8 Mai 2017 | Comentar | ]
Lourenço

TUDO SE ALTEROU EM POUCOS ANOS. Os homens da ciência e da técnica transformaram de tal maneira o mundo que seria difícil estabelecer comparações entre o antes e o depois sem causar sérias dúvidas nas criaturas mais jovens. Surpreendem-nos todos os dias com novas invenções e ultra modernos processos de atenuar atrasos milenares. Tudo começou, não faz assim tanto tempo, há menos de cem anos antes da Revolução Industrial, a actividade produtiva era artesanal, quase tudo era feito manualmente e usavam-se algumas máquinas muito simples. Toda a locomoção da agricultura …

Mosteiro de São João Baptista, Alpendurada
[10 Abr 2017 | Comentar | ]
Mosteiro de São João Baptista, Alpendurada

APESAR DESTAS ARRELIAS que me vão complicando a vida, conservo ainda intactos alguns sonhos da infância, imagino como será viver numa grande cidade repleta de tudo o que uma pessoa como eu necessita para ser feliz. Deve ser maravilhoso ter ao alcance de uma mão um conjunto de coisas que tornariam o meu viver menos austero. Ruas limpas, casas confortáveis onde nunca falta a luz como aqui frequentemente acontece, carros velozes, museus, cinemas, teatros, roupas de luxo, perfumes e tudo o mais que só nas grandes metrópoles se pode encontrar …

A minha casa
[10 Mar 2017 | Comentar | ]
A minha casa

ÀS VEZES APETECE-ME percorrer outros caminhos, sair em busca de novas e excitantes aventuras, afigura-se-me que para além de ti, de tudo o que te rodeia, haverá um outro mundo à minha espera. Talvez que para lá destas montanhas que nos cercam, eu possa encontrar um outro rio, um novo paraíso, uma outra forma de viver que me faça ser feliz. Isto a propósito de que às vezes não me sinto bem onde estou. A minha casa já pouco fala comigo e está sempre a mandar-me embora. Compreendo-a, quem coabita …

Lucinda
[7 Fev 2017 | Comentar | ]
Lucinda

A TERRA DE MELRES É BARRENTA, quase vermelha, o pó do trilho tinge de escarlate as botas de água do Caga-na-Marca. É encarnada a terra não muito diferente da cor do sangue que corre nas veias do mineiro que é vermelho escuro, carregado, tipo sangue de carrapato e meio galego.
Já se enxerga em Moreira onde tu és plano e largo e espraias-te preguiçoso e quase vens beijar as beiras do caminho que percorre sinuoso a tua margem direita. É lindo o verde persistente da ribeira de Melres enfeitada de choupos, …

Margarida
[18 Jan 2017 | Comentar | ]
Margarida

APETECE-ME FALAR DE TI COMO SE FOSSES AUSENTE, como se tu e eu vivêssemos longe um do outro, como que se apenas uma grande saudade nos unisse. Sabes que os seres vivos considerados humanos, temos um raro privilégio, uma terrível face negra da nossa alma que quando a deixamos tomar decisões, tende a afastar pessoas e coisas a quem amamos. É uma inconstância quase permanente, um desejo oculto de colher rapidamente tudo do campo da vida e iniciar nova sementeira. Nada nos satisfaz plenamente, trocamos o pouco que temos pela …

Feliz Natal rio de oiro
[24 Dez 2016 | Comentar | ]
Feliz Natal rio de oiro

O TEMPO PASSA A CORRER sobre as tuas águas e sobre as serras. Já foi Primavera, as árvores que te enfeitam as margens, vestiram-se de gala e a cor verde predominou em toda a tua extensão. O Verão também passou, foi-se na voragem quente que trazia mas antes de se apagar nas alturas, o sol que te fazia exuberante e lindo, proporcionou a chegada de milhares e milhares de pessoas que aqui vieram só para te ver. Depois veio o Outono e como se obedecendo a uma ordem rigorosa, toda …

Amor de barqueiro
[9 Nov 2016 | Comentar | ]
Amor de barqueiro

ESTA HISTÓRIA NUNCA DEVIA SER CONTADA. Acontecem-nos coisa na vida que mais parecem ser autênticos milagres ou coincidências tão estranhas que nos marcam e deixam comovidos.
Já naveguei muito pelo teu corpo de água, conheço-te as manhãs tranquilas em que espelhas o azul do céu, as ramagens das árvores ribeirinhas e as casas. Sei dos dias de cheias descomunais em que te transformas num colosso de água e não permites um abraço. Escuto os rumores da tua aflição quando invades a terra e procuro compreender a tua história.
São muitas as memórias, …

A velha
[15 Out 2016 | Comentar | ]
A velha

UM GRANDE RIO COMO TU tem sempre imensas histórias para contar. Eu sei que te enfastias a remoer o passado mas há momentos em que apetece relembrar. Tu és um colosso feito de água, conservas a sapiência dos ilustres, a altivez dos nobres, a força dos invencíveis e, apesar dos tantos atributos que te conferem poder, nunca deixaste de ser um rio, apenas um rio.
Deixa-te estar sossegado na calma do teu leito que eu conto coisas que me surgem na memória. Tudo o que te rodeia é dinâmico, a evolução …

Era um dia de Maio
[28 Set 2016 | Comentar | ]
Era um dia de Maio

NÃO SEI SE FORAM RECORDAÇÕES ou traumas de uma infância infeliz que fizeram esse senhor aparentemente importante regressar ao fim de tantos anos ao lugar onde nasceu e habitou até se fazer homem. O que sei é o que me contou o Sr. Engenheiro, isso é o que verdadeiramente tem significado para mim, é a constatação de uma realidade que foi vivida num passado ainda recente e da qual, alguns filhos e netos dessa gente antiga já morta, não querem ouvir falar agora. Preferem esquecer, deixar sepultada no pretérito, a …

A partida
[30 Ago 2016 | Comentar | ]
A partida

HÁ MILHÕES de anos, quando os mundos se fundiam numa guerra astral sem precedentes, surgiram aqui vindas do nada estas duas maravilhosa correntes líquidas. Nasci à beira destes dois rios, o douro e o rio mau, cresci com eles e permiti que o meu corpo, a minha mente e o meu carácter fossem moldados na lentidão com que os dias e os anos iam passando desde a meninice e infância à juventude. Brinquei num espaço limitado a um raio de cem metros da casa onde vim à luz. Mundo pequeno esse …

A Barca de Fantasia
[20 Jul 2016 | Comentar | ]
A Barca de Fantasia

MATILDE era decerto a mais formosa e talentosa das meninas da escola primária da pequenina povoação de Rio Mau. Usava nas tranças do cabelo negro que lhe pendiam sobre os ombros, uma flor de malmequer espetada que ia bailando de forma graciosa quando saltava as linhas rectangulares rabiscadas na terra, jogando à Macaca. Nada podia perturbar a pureza deste ser que apenas com seis anos já imaginava o mundo inteirinho em sonhos e manifestava vontades interesseiras de alargar horizontes, conhecer novas terras as quais, pela primeira vez, ouviu a professora …