A Estrela de Américo Pereira Gomes (1899-1995)

/ 640 leituras
A FUGA do menino português Américo Pereira Gomes, de sua casa, na cidade do Porto (Paços de Ferreira), uma das maiores de Portugal, em 1911, aos 12 anos de idade, foi o pontapé inicial para ...

Porto, la vieille âme et la mer

/ 581 leituras
PLUS tranquille que Lisbonne, la désuète cité du nord du Portugal, encore très abordable, se laisse gagner par les touristes et la modernité. Elle pourrait être une sœur tranquille de Lis...

Também pode votar em Zuleta

/ 595 leituras
ABERTA, oficialmente, a época da caça ao voto, fomos descobrir um candidato do outro mundo. Chama-se Raúl Zuleta, nasceu em Guarne, uma pequena cidade do estado de Antioquia, na Colômbia. De...

Porto e Maia vistos por Hugo Veiga

/ 815 leituras
É o publicitário português mais premiado na história do Festival Internacional de Cannes com 28 Leões, sendo 12 de Ouro e um Grand Prix de Titanium. Passou pela Maia e por Lisboa, hoje está ...

Santo Tirso visto por Teresa Sá

/ 531 leituras
TERESA Sá é natural da freguesia de Guimarei, em Santo Tirso. Porque não conseguia mudar o país, mudou-se a si própria. Saiu. Fomos agora encontrá-la a viver em Londres, longe da nostalgia q...

André Chiote e as ilustrações sobre museus

/ 374 leituras
O JOVEM arquiteto português André Chiote tem desenvolvido um interessante trabalho em ilustração. Em seus desenhos coloridos e minimalistas, André reproduz o seu olhar sobre icônicas constru...

Maria Mendes: o Jazz levou-a do Porto a Nova Iorque

/ 507 leituras
A CRÍTICA especializada diz que é uma das vozes mais promissoras do jazz europeu. Nascida no Porto, há 27 anos, Maria Mendes tem ganho notoriedade no estrangeiro, com vários prémios conquist...

Gémeos Ferreira de Marco de Canaveses

/ 900 leituras
HÁ 20 ANOS a vida de José mudava "radicalmente" depois de uma promessa, cumprida a pé, entre Marco de Canaveses e o Santuário de Fátima. "Senti-me explorado, quando me pediam muito dinheiro ...

A beatificação de Sílvia Cardoso

/ 715 leituras
A BENEMÉRITA Sílvia Cardoso, de Paços de Ferreira, foi reconhecida pelo papa Francisco como "venerável", um procedimento obrigatório para a eventual beatificação, confirmou hoje à Lusa fonte...

“Kali” de Regina Pessoa nomeado para os Awards Annie

/ 401 leituras
"KALI, o Pequeno Vampiro" é a curta-metragem que valeu à realizadora a nomeação para os mais importantes prémios norte-americanos do cinema de animação. O filme encerra uma trilogia sobre a ...

Ary Ferreira da Cunha e Tiago Laranjeiro campeões mundiais de debate universitário

/ 665 leituras
ARY Ferreira da Cunha e Tiago Laranjeiro, da FDUP e da FEP, sagraram-se, esta quinta-feira, campeões mundiais de debate universitário, prova que decorreu em Berlim. Ferreira da Cunha foi ain...

Ilídio Monteiro Flores eleito vereador na Finlândia

/ 566 leituras
ILÍDIO Monteiro Flores, 46 anos, é o primeiro emigrante português a ser eleito para uma autarquia finlandesa no cargo que em Portugal corresponde a vereador da Cultura e do Desporto. Natu...

De Soplin com muita fé e amor

/ 436 leituras
A VIVI e o Copi estão agora em Soplin Vargas, no norte do Peru, na fronteira com a Colômbia. Foram de Ermesinde até à selva amazónica como Leigos Missionários da Consolata. Já estiveram em I...

V. N. de Gaia vista por Maria Mendes

/ 583 leituras
MARIA Mendes, cantora de jazz que já viu o seu talento reconhecido pelo famoso Quincy Jones, irá apresentar o seu álbum "Along the Road" no próximo dia 29 de Setembro no Teatro Rivoli (conce...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Jorge Nuno Pinto da Costa (1937)

Nas duas últimas jornadas, voltámos ao passado. Para mim, o VAR só tem sido negativo. Quando não há uniformidade de critérios, tem de ser negativo. É inconcebível tanto o que se passou nas Aves, com um penálti não assinalado que nem precisava de VAR, como aquele fora de jogo assinalado no FC Porto-Benfica. Esse é para o Guinness.

Rua da Estrada não se sabe de quê

TEMOS uma extrema necessidade de dar nomes às coisas. Pensamos, talvez, que as coisas não podem existir se não tiverem nomes ou se, baralhados os nomes, confundidos ou trocados, também se confundissem as coisas acabando por colapsar por crise crónica de identidade, anomia ou anonimato. Como pensamos o mundo com palavras, tudo o que não tiver palavras ou palavra que não tenha mundos, se precipitará infinitamente por abismos abertos entre mundos desconhecidos. Dito isto, pensamos também que uma vez as coisas nomeadas por palavras, se perderiam se não fossemos capazes de classificar famílias d...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 300 leituras
Há relógios à prova de vinho?