Fome

Quantas sementes roubaram para te tornar animal indefeso? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Verão

Gosto do cheiro a sargaço inserto na palavra; outras vezes é a sua sombra que procuro. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Violeta

Nas grandes paixões sempre existe um pequenino ramo de violetas. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Rosmaninho

Rosnar ternurento. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Ervivo

Herdeiro universal da natureza. Seguiu a linha mais pura dos herbívoros. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Girassol

Que luz procura quem semeia girassóis? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Seiva

Íntima ternura água florida. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Cebola

Há coisas que nascem para nos fazer chorar. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Semente

Será a chuva a semente dos rios? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.  

Terra

Por quantas raízes se tece o íntimo da terra? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Primavera

Quando te vejo pela manhã apetece-me ser eterno. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Hortelã

Eis uma erva prudente agasalhada temendo que os fios do inverno lhe roubem a fragrância. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Urtigas

Para esta viçosa planta em parte alguma existe mão amiga. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Vegetal

Homem de coração de seiva, sonha ser primavera. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Tabuleta Digital