Artigos na categoria A Cidade Subtil

223 Leituras
CONSIDERADA por muitos como uma das mais poderosas representações do céu da História da Arte (dinâmico, profético, tenebroso), o quadro “Vista de Tole...

380 Leituras
ALGUNS aproximaram-se demasiado da lucidez. Quando o pensamento ganhou uma estranha autonomia e começou a levar tudo à sua frente, perderam-se. Agora ...

383 Leituras
QUANDO me aborreço da cidade superficial, corro para a estação de metro mais próxima. Gosto de sentir na pele o que Jean Valjean, o miserável herói de...

500 Leituras
CHEGOU o Inverno, ou melhor, chegaram as imagens do Inverno, a superfície gelada de um lago, uma montanha, ao fundo, ostentando uma espécie de candura...

393 Leituras
VOLTEI a Eugénio, recentemente. Não sei porquê. Ou melhor, até sei. Gosto de gatos, e os poemas do Eugénio – até pela forma como ele os dizia – lembra...

236 Leituras
A EXUBERANTE prosa de Onetti entra por este mês dentro sem qualquer pudor ou atrito, os santos prepararam um sonífero para as nuvens que já embaraçam ...

586 Leituras
ESTOU a amar um edifício. É o edifício com mais requinte e carácter que a cidade tem. Fica na Rua dos Bragas, uma rua demasiado severa e estreita. Alé...

557 Leituras
À MEDIDA que o Verão se apaga, o Porto recupera uma obscura lucidez no rosto. De resto, já não tenho grandes expectativas em relação à rentrée. Sou um...

449 Leituras
AGOSTO é já Setembro por entre a voluptuosidade das mãos. É impossível dissociar este mês da poesia mais acerada de Eugénio de Andrade, da prosa barro...

549 Leituras
JULHO. Os dias são velozes e esplêndidos. O sol está mais próximo da Terra. Há uma espécie de opulência em tudo o que vejo, toco e sinto. Pergunto-me:...

667 Leituras
Para o Manuel António Pina CONHECI o poeta em 2003. Estava a terminar a minha licenciatura e ele foi uma das fontes a que recorri para humanizar o te...

469 Leituras
AS trágicas encenações da existência. Um homem que vive prisioneiro dentro da consciência de outro. A angústia e a sua inata falta de fotogenia. Santa...

423 Leituras
CHARLES Baudelaire escreveu “Spleen de Paris”, Francisco Umbral escreveu “Spleen de Madrid” e eu gostaria imenso de descrever o spleen do Porto, essa ...

440 Leituras
NO meu sonho, o Palácio de Cristal e os seus minuciosos jardins configuravam uma nação prodigiosa, por onde deambulavam príncipes encantados e mulhere...

Vai no Batalha

NÃO serei nem uma coisa, nem outra. Não quero sair do Porto. Não tenho vontade nenhuma de sair do Porto, como já demonstrei outras vezes. O mais provável será fazer mais um (mandato). Dois mandatos será o ciclo razoável para estas coisas. A partir daí voltarei a tratar das coisas que sempre gostei, como escrever ou fotografar.

Rua da Estrada

223 Leituras
PARA memória futura antes que a tinta desbote, fica registado que este galo é de Barcelos, das terras de Prado onde se fazia muita telha, louça e figu...

Enigmatógrafo

223 Leituras
Quem está à coca quando cuca o cuco usa chapéu de coco na cuca?