A Cidade Subtil

De passagem pela Corunha

10 Junho 2017 Comentar

NO mês passado, tive a felicidade de apresentar o meu livro, “Dramas de Companhia”, em Espanha. Recebi o convite de Inma Doval, artista plástica galega, bibliotecária na Faculdade de Educação da Universidade da Corunha, que, entre outras coisas, luta acerrimamente para que o lado artesanal e a transcendência da leitura regressem, num mundo onde o impacto alienante da imagem e da banalidade se tornou, ele próprio, o centro do gosto e da ambição.

Ao contrário do urbanismo destroçado de Vigo, ou da monumentalidade barroca e triste de Santiago, a cidade da Corunha fez-se ordenada, leve, feminina e mineral. O seu maior monumento é, de resto, o Atlântico. Não há nenhuma cidade portuguesa que ofereça uma visão mais nobre, selvagem e eloquente do nosso mar. Ali, as três línguas misturam-se perfeitamente numa amálgama suave de sotaques. E o vento, que sopra sempre forte por aqueles lados, ajuda a confundi-las para melhor as decifrarmos.

Passei momentos exaltantes na Corunha. Recordo-me, por exemplo, da noite de passagem de ano 2005-2006. Fui com alguns amigos que resolveram abandonar a festa quase ao princípio da noite (porque um deles tinha bebido de mais, prematuramente), e lá fiquei eu no meio da alegria das ruas e da algazarra dos abraços e do champanhe, até de manhã, entrando e saindo de bares atulhados, dobrando esquinas ruidosas. Ou da vez em que, numa daquelas callejuelas do centro, fiquei atónito com um homem que tocava órgão, não porque a música fosse boa ou estivesse bem tocada, mas porque o próprio homem transportava em si uma fábula, o mistério de um desapego cultivado, todo vestido de preto, barbas brancas, com aquele ar honesto e andrajoso de quem já só espera da caridade um ou dois emocionados tostões.

O tocador de órgão de Cádiz ainda lá está. É outro dos grandes monumentos da cidade, junto do Atlântico, e do rosto escarpado da costa.

Por André Domingues com foto de Xacobe Meléndrez

Deixe aqui o seu comentário!

Insira o seu comentário, ou trackback do seu próprio site. Pode também Subscreva estes comentários via RSS.

Correcção e Respeito por todas as opiniões.

Este site disponibiliza o Gravatar. Para criar o seu Gravatar faça o registo em Gravatar.