1012
0
COMPARTILHAR
Sete pergunta...

Sete perguntas a Abigail Ascenso

Sete perguntas a Abigail Ascenso

0
1012

A ABIGAIL  é de um lugar de onde ninguém é: a Maceira-Liz. Não se confunda com a Maceira da Lixa, pois aquela fica em Leiria. Vive agora connosco, em Lordelo do Ouro, tudo por causa das Belas Artes cá do sítio. Iniciou a sua atividade profissional no design, por vocação e gosto, e depois, a convite do escritor José Viale Moutinho, aventurou-se no mundo da ilustração. Assim se define a sobrinha-neta do artesão Zé Pedro.

Por Paulo Moreira Lopes

1 – Data de nascimento e naturalidade (freguesia e concelho)?

Um artista nascido na minha terra costuma dizer: “Sou de um lugar de onde ninguém é: a Maceira-Liz.” É daí que sou, mas nasci em Leiria, às 10 da noite do dia 10 de Maio de 1979.

2 – Atual residência (freguesia e concelho)?

Vivo em Lordelo do Ouro, no Porto.

3 – Escolas/Universidade que frequentou no distrito do Porto?

O meu percurso escolar foi feito no distrito de Leiria. Comecei na Escola Primária de A-dos-Pretos, frequentei em seguida a Escola C+S da Maceira-Liz e concluí o ensino secundário na Escola Secundária Calazans Duarte, na Marinha Grande. Vim para o Porto apenas quando ingressei na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, escola a que recentemente regressei para fazer um curso de pintura.

4 – Formação académica?

Sou licenciada em Design/Arte Gráfica pela FBAUP.

5 – Atividade profissional?

Sou designer e ilustradora. A primeira coisa por manifesta vocação e gosto; a segunda, surgiu relutantemente, quase a contre-coeur, como dizem os franceses. Ao contrário do que sucedeu com muitos dos meus colegas, a ilustração surgiu algo tardiamente no meu caminho, já após os tempos da faculdade e a constituição da empresa de que sou sócia: a Furtacores Design & Comunicação. O primeiro convite para ilustrar um livro veio do José Viale Moutinho em 2006: foi um convite completamente inesperado e algo descabido, porque ele nunca tinha visto um gatafunho meu sequer! A partir daí, as coisas desenvolveram-se naturalmente e foram sempre surgindo novos desafios.

6 – Em que medida o local onde viveu ou vive influenciou ou influencia o seu trabalho por referência a fenómenos geográficos (paisagem, rios, montanha, cidade), culturais (linguagem, sotaque, festividades, religião, história) e económicos (meio rural, industrial ou serviços)?

O Manuel António Pina costumava citar Jorge Luís Borges e dizer: “Eu sou todos os livros que li, todas as pessoas que conheci, todos os lugares que visitei, todas as pessoas que amei”. Penso que todos seremos assim: um mosaico de múltiplas peças em variação permanente.

Mas, ao contrário do que sucede no trabalho da minha sócia, a Fedra Santos, onde é bastante evidente a marca de Freamunde, das suas histórias e personagens, tenho imensa dificuldade em discernir em que medida as minhas origens influenciam e estão presentes no meu trabalho de ilustração. Se calhar, esse passado remoto esgueira-se lá para dentro, mas será sem a minha autorização e conhecimento! Os meus avós tinham uma ligação fortíssima à terra, e o meu pai alimentou durante muitos anos o sonho da agricultura, mas não sei avaliar o modo como a convivência com a terra e uma certa ruralidade influem no meu trabalho… Que impacto sobre a minha imaginação poderá ter tido, por exemplo, as formas e figuras da carpete da sala de estar onde gostava de brincar horas a fio, em frente à lareira? Quem poderá medir isto?

Ou que dizer dos múltiplos recantos, ângulos e cores da casa dos meus pais, uma espécie de castelinho em miniatura projectado pelo tio-avô Zé Pedro, um artesão sem qualquer formação académica, mas com um talento que ainda hoje me comove? Há, claro, pequenas coisas em que nos projectamos conscientemente, mas são pormenores biográficos sem qualquer importância: recordo-me, por exemplo, de uma ilustração minha, onde dois irmãos embrulham separadamente os chinelos que vão oferecer ao pai no dia de Natal. Foi uma coisa que fiz com a minha irmã. Trata-se de uma memória da infância, que veio em socorro da imaginação.

7 – Endereço na web/blogosfera para o podermos seguir?

http://furtacoresdesign.blogspot.pt

Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA